Tools

premio trote solidario 20170523 1304830626 

Ao todo, nove cursos se inscreveram no concurso, que visa principalmente integrar os novos estudantes ao ambiente universitário de forma solidária

Numa cerimônia realizada, nesta terça-feira, na Reitoria da Universidade Estadual de Maringá, foram premiados os três primeiros cursos de graduação escolhidos no concurso sobre o Trote Solidário deste ano.

Com prêmio de R$ 1.500,00, o curso de Engenharia da Produção ficou em primeiro lugar. Design (Câmpus Regional de Cianorte), na segunda colocação, recebeu R$ 1.000,00. O curso de Engenharia Civil recebeu R$ 500,00 pelo terceiro lugar, conforme escolha feita por uma comissão julgadora constituída especialmente para a ocasião.

O vice-reitor Julio Damasceno disse que o trote solidário mostra que é possível os calouros celebrarem o ingresso na Universidade de uma forma diferente. “As atividades desenvolvidas tiveram a presença de pessoas socialmente engajadas e socialmente envolvidas ".

A estudante do 2º ano de Engenharia de Produção, Beatriz Murase, membro do centro acadêmico do curso, descreveu as atividades desenvolvidas no trote, incluindo a doação de sangue, limpeza de abrigos mantidos por entidades protetoras de animais, entrega de alimentos para asilo, e arrecadação de chocolate por ocasião da celebração da Páscoa. O trote prestou atendimento a dez instituições.

Coordenadora-adjunta do curso, a professora Maria de Lourdes Santiago Luz afirmou estar muito honrada pela participação e o resultado alcançado pelos alunos. Conforme ela, houve um envolvimento grande entre os estudantes, tanto calouros quanto veteranos.

Estudante do 2º ano de Design, Rhuan Barros Santos citou as ações feitas pelos alunos, que decidiram fazer uma campanha de conscientização sobre o abandono de idosos. Os acadêmicos arrecadaram fraldas geriátricas, interagiram com os idosos, e ainda limparam a sala da maquetaria utilizada pelos calouros, além de terem, em parceria com o Provopar, recolhido agasalhos e material para a confecção de brinquedos doados a uma creche. Júlia Alberti Ginde, também do 2º ano, relembrou a alegria das velhinhas durante as atividades feitas no Lar Rainha da Paz, em Cianorte. A estudante Isabela Ayumi Nakashima também esteve na cerimônia. Todos são alunos do centro acadêmico do curso.

O professor Bruno Montanari Razza, coordenador do curso de Design, enfatizou o fato de que está percebendo a evolução de uma corrente em defesa do trote solidário. Ele destacou a atuação do centro acadêmico Bauhaus no evento.

A estudante Marina Naomi, do PET (Programa de Educação Tutorial) de Engenharia Civil, ressaltou o envolvimento do curso com a questão social traduzida na reforma de uma instituição que abriga principalmente mulheres vítimas de abusos físicos e psicológicos. Aluna do 2º ano, ela considerou muito positiva a união entre o centro acadêmico (Caec), a consultoria junior (Empec) e o PET na realização do trote. As acadêmicas Thais Rodrigues e Juliana Liberato, do 2º ano, também compareceram à entrega da premiação.

Na avaliação do professor Carlos Humberto Martins, coordenador do curso, é extremamente gratificante a participação dos estudantes e a respectiva premiação. Ele destacou a união de esforços das três entidades estudantis na realização das atividades.

Diretor do Câmpus Regional de Cianorte, Alessandro Santos da Rocha entende que o trote solidário vem se tornando uma cultura na Universidade. "A forma como as atividades são desenvolvidas acabam movimentando as instituições e dá visibilidade para a UEM", afirmou, para quem "a partir do trote solidário estamos vendo cada vez menos o trote violento, que humilha e denigre".

O diretor do Centro de Tecnologia, Leandro Vanalli, disse que o CTC se sente honrado com o envolvimento e a premiação dos estudantes. "Vocês procuraram na comunidade pontos que precisavam de apoio", observou. 

O diretor-adjunto do CTC, Romel Vanderlei, salientou que o concurso é motivador e que iniciativas como estas ajudam na formação humanística dos acadêmicos que, após formados, além de levar o conhecimento à sociedade terão a preocupação em melhorar a sociedade.

Para a pró-reitora de Extensão e Cultura, Itana Gimenes, foi de grande importância os alunos terem priorizado, nos trotes, a questão social.

A diretora de Extensão, Érica Cintra, revelou que foi emocionante ouvir o relato das atividades feitas pelos estudantes premiados. Mencionando o fato de os três primeiros colocados pertencerem ao Centro de Tecnologia, a diretora assinalou que as ações desenvolvidas causaram impacto na vida das pessoas e transmitiram energia positiva até aos animais atendidos pelas ONGs, e que esse conjunto de ações sinaliza uma virada humanizadora de cursos que são considerados muito técnicos.

Na opinião da diretora de Ensino de Graduação (DEG), da Pró-Reitoria de Ensino, Solange Yaegashi, a UEM tem muito para mostrar à sociedade e o trote solidário é uma boa oportunidade de isso acontecer. Lembrando que nove cursos se inscreveram no concurso, a diretora disse que "nosso papel não é apenas fazer ciência, mas buscar soluções para os problemas da sociedade".

Atividade conjunta

Para concorrer ao concurso, os cursos tiveram que desenvolver uma atividade conjunta, entre os estudantes veteranos e os calouros, que se caracterizasse como um trote solidário, tanto em relação à comunidade interna e os câmpus da UEM quanto à comunidade externa à UEM e o seu meio ambiente.

Essas atividades visaram integrar os novos estudantes ao ambiente universitário de forma solidária, em atividades que envolvessem diversão, solidariedade, cidadania, respeito ao próximo, respeito à diversidade, educação social, ambiental e ética.

Os critérios de classificação ao prêmio foram o envolvimento de calouros, veteranos, docentes, centros acadêmicos, grupos PET e outras agremiações nas ações do Trote Solidário; a quantidade de atividades desenvolvidas no campus e na comunidade; e a descrição das atividades desenvolvidas enfocando o caráter de solidariedade e cidadania.

Pela ordem, os melhores classificados foram Engenharia de Produção (1º), Design/Câmpus Regional de Cianorte (2º); Engenharia Civil/câmpus-sede (3º); Pedagogia/campus-sede (4º); Engenharia Agrícola/Câmpus Regional de Arenito (5º); Educação Física/Câmpus Regional do Vale do Ivaí (6º); Direito/campus-sede (7º); Medicina/campus-sede (8º); e História/campus-sede (9º).

O Centro Acadêmico de Engenharia de Produção (Caepro) favoreceu dez entidades: Pescadores de Vidas, Casa de Emaús, Fundação Isis Bruder, Lar Escola Criança de Maringá, Restaurante Popular de Maringá, ONG Dignidade Animal, Albergue Santa Luzia de Marillac, Asilo São Vicente de Paulo, Sociedade Protetora dos Animais de Maringá e Projeto Olhar no Tênis.

Para a arrecadação de leite, estimulou-se a chamada "competição solidária" entre as ênfases. A premiada foi a de software, que ganhou uma visita técnica no evento "Integra Produção". Também arrecadaram-se caixas de chocolate BIS, a fim de apoiar o projeto de Páscoa Enactus UEM: "Espalhe doçura",  que beneficiou a Fundação Isis Bruder e o Lar Escola Criança de Maringá.

As ênfases de Agroindústria e de Construção Civil distribuíram sanduíches e refrigerantes a moradores de rua, caminhando desde a Biblioteca Central à Catedral de Maringá.

Já a ênfase de confecção industrial foi premiada com um minicurso de Excel básico, por sua visita à ONG Dignidade Animal, onde doaram cobertores e materiais para a limpeza. Houve também a arrecadação de roupas para o albergue Santa Luzia de Marillac.

A ênfase de software fez uma visita ao asilo São Vicente de Paulo, dando atenção aos idosos, levando maquiagem e baralho para que eles pudessem se distrair. Houve, também, doação de fraldas geriátricas e de leite.

No dia 25 de abril foi realizada uma visita à Sociedade Protetora dos Animais, onde os alunos limparam os canis e as ferramentas usadas no dia-a-dia do abrigo.

No dia 29 de abril, em pareceria com o Centro de Voluntariado Universitário (CVU), os alunos visitaram o Projeto Olhar no Tênis (PONTE), oferecendo lanche às crianças e aos adolescentes atendidos pelo projeto. 

Vale ressaltar também a participação do Caepro na campanha de doação de sangue, realizada em parceria com o Cainfo, o CVU, o DCE e o CACCOM. Houve a ajuda da empresa TCCC, que cedeu um ônibus para o deslocamento dos alunos até o Hospital Universitário Regional de Maringá. 

Em segundo lugar ficou o Centro Acadêmico Bauhaus, do curso de Design (Cianorte). Entre as atividades desenvolvidas estão a arrecadação e doação de roupas para o inverno, atividades na sala de prototipagem, doação de sangue e cabelo e conscientização acerca dos problemas enfrentados pelos idosos. 

A produção de brinquedos na sala de prototipagem é tradição do curso há sete anos. Lá,os alunos empregaram o conhecimento a fim de beneficiar crianças da Sociedade de Assistência Social Beneficente Educacional e Maternal de Cianorte. Foram produzidos 10 jogos de dominó, 10 jogos da memória, 20 jogos de pega varetas e 8 jogos de 5 marias. 

Houve a visita ao "Lar dos Velhinhos", onde os acadêmicos divertiram os idosos com pintura de unhas, maquiagem, músicas, etc. Houve a compra de salgadinhos e bexigas para comemorar o aniversário de uma senhora que fazia aniversário no dia. Confeccionaram-se pôsteres lambe-lambe, mensagens e produziu-se de um vídeo. Para finalizar, os alunos fizeram arrecadação de material de limpeza e de fraldas geriátricas.

O terceiro lugar ficou para o curso de Engenharia Civil. O trote solidário feito pelo Caec, em parceria com a Empec e com o PET-EC, propiciou a reforma de uma casa abandonada que fora cedida para sediar o projeto Débora. Esse projeto é organizado pela pastora Rachel de Menezes e tem por objetivo salvar vidas de pessoas com traumas e com depressão e seu principal enfoque é o público feminino, que é, muitas vezes, vítima de abusos, sejam eles físicos ou psicológicos. 

Os alunos gastaram uma semana para arrecadar os materiais e duas semanas para reformar o local. Houve o apoio do Departamento de Engenharia Civil, da coordenação do curso, da Empresa Junior (Empec) e do PET de Engenharia Civil, além do auxílio da engenheira Paula Farias Fávaro.

O concurso "Trote Solidário" fez parte da programação da "Semana de Integração: Calourada 2017", evento de responsabilidade das pró-reitorias de Ensino (PEN), de Extensão e Cultura (PEC), Assessoria de Comunicação Social (ASC) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE). O patrocínio é da Caixa Econômica Federal (CEF).

Veja galeria de fotos

uem tv