Tools

2017-03-22 Palestra Marcilio e Teatro Auto da barca do Fisco- MG 1751

Texto critica a corrupção de alguns líderes na sociedade contemporânea, sobretudo no que se refere ao desvio ou a má utilização do dinheiro público

Os apreciadores do teatro poderão assistir, nesta quinta-feira, às 20h15, gratuitamente, a peça "O Auto da Barca do Fisco". A apresentação será na Oficina de Teatro da Universidade Estadual de Maringá (UEM). 

Inspirado nas peças “O Auto da Barca do Inferno”, de Gil Vicente, e “O Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, o texto faz uma crítica à corrupção de alguns líderes na sociedade contemporânea, em especial no que se refere ao desvio ou à má utilização do dinheiro público. 

O texto tem o objetivo de conscientizar as pessoas para a cidadania e integra um trabalho maior de Educação Fiscal, desenvolvido pela Associação SER (Sociedade Eticamente Responsável), buscando sensibilizar a sociedade para a função socioeconômica do tributo. Nesta função, o aspecto econômico refere-se à otimização da receita pública, e o aspecto social diz respeito à aplicação dos recursos em benefício da população.

A peça foi estruturada para gerar parâmetro de comparação entre os personagens que exercem seu papel social e profissional com responsabilidade e ética e aqueles que buscam apenas vantagens pessoais e agem de forma desonesta.

Os personagens foram inspirados em exemplos do cotidiano noticiados com freqüência na mídia. O grupo que interpreta “O Auto da Barca do Fisco” é formado por servidores da UEM e funcionários das receitas Federal e Estadual.

O texto é de Marcílio Hubner de Miranda Neto. A direção, os figurinos e a iluminação são de Reinaldo de Castro Soriane. O elenco é composto por Marcelo Henrique Galdioli, Isabel Ferreira da Silva Chagas, Paula Crocetta Biazin, André Schimidt, Marcílio Hubner, Carmem Patricia, Mikaeli Stefani e João Batista.