A formação do professor e as intervenções pedagógicas humanizadoras são focos da décima sexta edição da Semana de Pedagogia da UEM, que começou ontem à noite (6) e prossegue até sexta-feira. O primeiro tema - O Lado Escuro do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) – foi abordado pelas professoras Cecilia Azevedo Lima Collares, pedagoga, livre docente em psicologia educacional e professora aposentada da Faculdade de Educação da e Maria Aparecida Affonso Moysés, médica pediatra, professora titular de pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.

As professoras falaram da crescente aceleração de diagnósticos de hiperatividade e de dislexia que vem ocorrendo em todo o mundo inclusive no Brasil, apresentando dados estatísticos alarmantes: nos Estados Unidos, 6 milhões de pessoas, 75% das quais crianças, tomam Ritalina, psicotrópico que deixa a pessoa mais contida, menos ativa, sendo conhecida como “droga da obediência”. Esta droga reconhecidamente provoca reações adversas freqüentes e sérias, sendo potencialmente prejudicial ao sistema nervoso e ao desenvolvimento neurológico e emocional, além de poder provocar dependência química e drogadição.

Segundo o Instituto de Defesa dos Usuários de Medicamentos (IDUM), a venda de Ritalina no Brasil cresceu 1612% de 2001 a 2008. A produção mundial de metilfenidato, princípio ativo da Ritalina quadruplicou de 2001 a 2004. Além disto, as autoras mostraram dados de pesquisas internacionais que questionam a atribuição de problemas de comportamento e/ou aprendizagem a doenças neurológicas. Citando vários autores de renome internacional enfatizaram que a existência de TDAH e Dislexia é muito controvertida e questionada em muitos campos da ciência, inclusive na própria medicina.

Durante a solenidade de abertura, a pró-reitora de Ensino, Ednéia Rossi, falou sobre a importância do evento e destacou a grande adesão de professores da rede básica de ensino e do Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE), mostrando a aproximação entre a Universidade e a educação básica. O diretor do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Lúcio Tadeu Mota, apontou a importância do evento, que atende não só alunos, mas abrange professores da educação básica de toda a região. Lembrou que, depois de 35 anos de existência, o curso de Pedagogia da UEM tem um bloco. Falou do apoio do CCH ao curso, ao ensino e pesquisa dos departamentos.

Já a coordenadora geral do evento, Elma Júlia Gonçalves de Carvalho, explicou a razão da escolha do tema da semana. Disse que “vivemos em um mundo que nos desumaniza, num mundo cada vez mais competitivo, individualista, que dissolve os antigos vínculos sociais, favorece a perda da consciência coletiva e nos impede a compreensão das relações sociais mais amplas. Ao tratar desse tema esperamos contribuir para o debate e abrir novas perspectivas para práticas educativas mais humanizadoras”. Citando Demerval Saviani, enfatizou que o trabalho educativo é o ato de produzir, direta e intencionalmente, em cada indivíduo singular, a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens.

A coordenadora de Pedagogia, Leonor Dias Paini, relatou sobre o desempenho do curso nos diversos rankings nacionais e leu uma mensagem enviada pela secretária de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Lygia Pupatto, parabenizando o curso, os professores, os alunos e os técnico-administrativos pelos excelentes resultados apresentados no Enade e no desempenho geral expresso no Conceito Preliminar de Curso (CPC) do MEC. Segundo Pupatto, os brilhantes desempenhos enaltecem o Ensino Superior Público do Paraná.

Junto com a Semana de Pedagogia, estão sendo realizados o 4º Encontro de Pesquisa em Educação e a 2ª Jornada de Gestão Escolar. Estão participando cerca de 550 pessoas, sendo oferecidos 17 minicursos e programadas 86 comunicações. Outras informações pelo site http://www.semanadepedagogia2009.com.br/2009/maringa/home ou e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..